Professores

Albers, Dr. Carlos F.

Altmann, Dr. Walter

Altmann, Friedhold

Altmann, Werner

Aurich, professora

Bachmann, Marcia

Baeske, Albrecht

Barth, Erwino

Bauermann

Becker, Rudolf

Bencke, João Carlos Donário

Benz, Emil

Benz, Ingeborg

Bergelt Corrêa, Regina

Berndt, Aldo

Biehl, Yeda

Bier (Tenente)

Black, Georg

Bökel

Bökel, professora

Boll, Godofredo

Brakemeier, Gottfried

Braun, Siegfried

Brune, Germano

Brunken, Werner

Brunner, Hans

Burger ?

Burger, Hans

Burger, Hermann

Conrad, Herbert

Costa, Walter

Creutzberg, Leonhard

Dickie, Mari Amélia Guinter

Dietschi, Ernesto

Dietschi, Irene

Dietschi, Siegfried

Dohms, Hermann GottLieb

Dohms, Inge

Dohms, Maria

Dörr, Walter

Dreher, C. Reinhard

Dreher, Martin Norberto

Dreher, Wally

Droste, Rolf

Faber, Heinrich

Fausel, Dr. Erich

Fischer, Willi

Fleischhut, Günter

Fräger, Paul

Friedburg, Barbara

Friedrich, Hans Hermann

Fuchs, Willy

Fülling, Dr. Erich

Gãlzer, Werner

Gertz, René

Goetz, Paulgerhardt

Golz

Gottschald, Karl

Götz, Elmar

Götz, Renate

Hackbart, Eugênio

Haetinger, Rudolf

Haffner, Karlheinz

Hahn, Dr. Gustav

Hannemann, Paul

Hees, Christel

Heise, Werner

Helbling, Dr. Roberto

Hennig, Lothar

Henninger, Walter Friedrich

Hilbk, Wilhelm

Hinrichs, Walter

Hofferbert, Karl

Hoffmann, Hubertus

Hoffmann, Otmar

Hofstaetter, Remy

Höhn, Heinrich

Holder, Dr. Gottlob

Homrich, Dr. Maximiliano

Hooge, Gustav

Hoppen, Arnildo

Karrer, Paulo

Kästner, Harald

Kaufmann, Wilfried

Keller, Germaid Helen

Kilpp, Nelson

Kirchheim, Huberto

Kleine, Theodor F.

Klementz, Ursula

Kleppa, Karin

Kliewer, Gerd Uwe

Kliewer, Gerhild

Koch, Eva Wysk

Koch, Guilherme João

Köhne, Dr. Martin

Köhne, Reínhod

Kolb, Günter Paulus

Kolfhaus, Maria

Koppittke, Carlos

Koppittke, Dr. Helmut

Kopsch, Ottilie von

Korndörfer, Geraldo

Kosche, Dr. Walter

Krause, Adolfo

Krause, Heinrich

Krehl, Hermann

Laaf, Johannes

Lagemann, Rudi

Lebtag, Emma

Leonhardt, Eugênio

Lermen, Tito Livio

Manske, Lorita

Maschler, Max

Mason, Haidi Bantel

Mau, Wilhelm

Meincke, Sílvio

Mello, Alcino Ferreira de

Mello, Marianne

Mentz, Libório

Meyer, Gisela Fausel

Müller, Dr. Arndt

Munsberg, João Alberto Steffen

Mützel, professora

Nast, Willi

Naumann, Hans Günther

Naumann, Ruth

Nestle, Fritz

Pagel, Dr. Karl August

Paltzo, Erika

Pereira, Natividade

Presser, Ênio

Prien, Monika

Raspe, Ingeborg

Reinhardt, Ivo

Reusch, Martin

Rother, Martin

Rupflin, Friedrich

Ruppenthal, Vitor R.

Saenger, Rudolfo

Sander, Luís Marcos

Sänger, Ulrico

Sarlet, Ernest

Sarmento, Glênio Lima

Sattler, Heinrich

Sattler, professora

Schäffer, Idylio

Scheuermann, Hedo

Schlieper, Ernesto

Schlüter, Wilhelm

Schmeling, Kurt Günther Hugo

Schneider, Rodolfo J.

Schönborn, Elisabeth

Schõneberg, Martha

Schreiber, Gustavo

Schreiner, Edda Isernhagen

Schreiner, Rodolpho W.

Schuenemann, Gustavo Adolfo

Schultz, Dr. Alarich

Schwambach, Adair

Schwantes, Milton

Schwantes, Norberto

Seibel, R.

Seidler, Ernildo

Semich, Friedrich

Seyer, Ludwig Theoder Wilhelm

Silinski, Siegfried

Silveira, Fernando Lang da

Sölter, Karl

Soth, Elisabeth

Soth, Udo

Spellmeier, Arteno

Sporket, Ernest

Steimer, Elsa

Steinsiek, Elisabeth

Steltmann

Strauss, Dr. Hans

Strauss, senhora

Strebel, Gebhard

Streck, Dr. Danilo Romeu

Strunck, Hans

Sudhaus, Paul

Suffrian, Silvia

Sult, Erika

Sydow, Gunther

Thrun, Georg

Tornquist, Guido

Tornquist, Margareta

Volkmann, Martín

Volkmann, Walter

Wallauer, Erno

Wangen, Dorothy Marie

Wangen, Richard

Wartschow, Arno

Weber, Bertholdo

Weber, Walter

Weingãrtner, Lindolfo

Weingärtner, Margarete

Westphal, ?

Wetjen, Alma

Wiebke, Hilde

Wiebke, Wilhelm

Wieck, Harry J. K.

Wild, Luiz A.

Willausch, Herbert

Willausch, Mechthild

Wingert, Lauro

Wojahn, Rubens

Wollheim Boll, Ruth

Wrasse, Amo

Wrede, Hermann

Zizemer, Osmar

CAROS COLEGAS do IPT

DESAFIO PARA  VIRADA  DE ANO 2020 – 2021

Esperamos que tod@s tenham tido um pouco de “feliz Natal” na reclusão domiciliar e no relativo distanciamento dos familiares. 

A Estrela de Belém brilhou, mas os Magos não puderam vir fazer visita…  

A Estrela continua visível no Oeste, mas Júpiter e Saturno já estão se afastando mutuamente.

Com a chegada de um novo ano precisamos relembrar @s colegas da nossa tradicional responsabilidade como Associação de Ex-alunos do IPT:

– Deveríamos contribuir com a anuidade, que tradicionalmente é 10% do Salário Mínimo. Esta contribuição não é obrigatória. É voluntária.

Muitas vezes acontece no Dia do Ex-aluno.

Como não tivemos o Dia em 2020 e não teremos em 2021, desejamos estimular @s colegas a fazerem a contribuição por estes dias.

Imaginamos que as despesas com Natal e Ano Novo atualmente sejam menores devido à reclusão.

Talvez tenham sobrado alguns troquinhos para esta finalidade.

No momento, estes recursos farão parte do Fundo Provisório de Manutenção (serviços de comunicação e eventual auxílio a estudantes de teologia).   

Agradecemos a tod@s.

Encaminhar o valor à conta:  

Banco do Brasil –  Agência  0185-6   CC 69163-1

Atenção! Sempre que fizer depósito, informe o tesoureiro Ivo Reinhardt – 51.98151.6373  e  ivorhein@gmail.com  

Abraços,  Carlos F R Dreher, Presidente da AEAIPT

Reflexão

Caros amigos

Há um ano confraternizamos com amigos e parentes, desejando tudo de bom para o ano novo que se aproximava.

É sempre assim, o encerramento de um ciclo, à espera do próximo, a esperança de novos tempos, a alegria das festas, a vinda de filhos e netos para o Natal e as férias tão esperadas.

Estamos acostumados a festejar por antecipação, veja só.

Gastamos muito dinheiro com fogos de artifício e foguetes, festejando o ano que não chegou ainda, ou recém foi empossado.

E, desta vez, estamos vendo que tudo aquilo não resolve nada. A nossa vida é menos que um grão no Universo, pois uma coisinha de nada, nem se enxerga a olho nu, derrubou todos nossos desejos e aspirações para 2020.

E não foi um pouquinho, foi para o ano todo.

O que nos leva, mais uma vez, a questionar a nossa vida: será que viemos para este mundo a passeio, ou para receber lições, muitas vezes extremamente amargas?

Que é o nosso caso atual.

Então, para que serve uma pandemia destas?

Talvez apenas para que a gente pare e reduza a velocidade e não deixe para amanhã, para visitar nossos pais, beijar a companheira, visitar um lugar especialmente importante, ligar para um amigo distante, cumprimentar um estranho na rua, desfazer um mal-entendido, perdoar, tentar ser perdoado… e por aí vai. A lista é grande, não é mesmo?

Em suma, se importar com os outros e, principalmente, consigo mesmo, pois é aí que começa tudo.

Chegamos no fim de 2020. Um ano duro, mas para refletirmos e agradecer.

Sim, ainda assim temos muito a agradecer.

Pense nisto.

Um feliz final de ano!

Gilberto Winter

Livros de ex-alunos