3 comentários em “APELIDOS de ANIMAIS e EXÓTICOS”

  1. Quando nos mudamos para São Leopoldo, levei o apelido de Gringo, que durou até 66, quando me transferi para o Colégio Sinodal. Lá, por causa da Padaria Weingaertner LTDA na esquina da rua Primeiro de Março com a Rua João Neves da Fontoura, levei o Apelido de Padeiro, por que o Ricardo Crusius afirmou que me conhecia e que eu era o filho do Padeiro. O “padeiro” foi simplificado e passou a vigorar apenas como PADERO. Tinha professor (Brunni, por exemplo) que me chamava de PADERO na sala de aula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *